Liberdade (de expressão) não é libertinagem e punição não é censura.

Fonte: autoral.

De forma recorrente o debate da liberdade de expressão submerge sem trazer consigo a profundidade do tema. Se faz necessário que sejamos radicais, então vamos investigar um pouquinho algumas linhas tênues que separam os equívocos acerca da discussão. Como é de costume, esse texto fará um uso excessivo do pai das pessoas inteligentes: o Dicionário e o estudo das palavras.

Primeiro vamos resgatar, neste contexto, em sua base canônica, o que é censura.

  • censura
    1. ação ou efeito de censurar.
    2. análise, feita por censor, de trabalhos artísticos, informativos etc, com base em critérios morais ou políticos, para julgar a conveniência de sua liberação à exibição pública, publicação ou divulgação.

Agora o que é punição.
  • punição
    1. qualquer forma de castigo que se impõe a alguém por falta cometida.
    2. pena determinada por um juiz a quem cometeu um crime.
Imediatamente percebe-se que existe um sutil fator temporal que diferencia as duas situações: o ato de censurar implica que houve um planejamento ANTERIOR para contenção do conteúdo. Já punir é uma ação cometida APÓS um dado ato. Ou seja: se em plena pandemia um imbecil bosteja inverdades sobre a vacina e a inverdade foi rechaçada e excluída em qualquer rede social, não houve censura, houve punição pelo uso indevido da liberdade de expressão. Ué, como assim?

Precisamos definir, neste contexto, uma possível definição para libertinagem.
  • libertinagem
    1. é o uso da liberdade sem o bom senso, parece liberdade, mas é ao contrário por auto se contrariar.
Um dos possíveis sinônimos de libertinagem é desregramento, ou seja: liberdade não é desregramento, na vida real não existe o "faz o que tu queres que há de ser tudo da lei". Declarações nazistas, racistas, preconceituosas, homofóbicas, caluniosas, etc. infringem as leis [1] [2] [3], são criminosas e quem as cometem deve responder judicialmente.
Ah, entendi, então quer dizer que a liberdade de expressão se dá a partir do momento que não tem nenhuma inteligência analisando previamente, para autorizar ou não, o que está sendo publicado e divulgado, certo?
Sim, exatamente.
E no caso de Trump? Ele teve a conta bloqueada! Portanto foi sumariamente censurado nas principais redes sociais do ocidente, certo?
Errado. Alguém que tem sua conta bloqueada ou excluída, por infringir constantemente os termos de uso (as leis) de uma rede social qualquer, não está sendo censurado: está sendo punido permanentemente mesmo.
Se punição permanente não é censura, então, o que é?
Punição permanente é punição permanente, vamos lá: se um assassino confesso é julgado, condenado e preso por ter matado uma criança, não faz qualquer sentido protestar com o argumento que "prender é errado porque isso fere o direito de ir e vir". Percebe? é a mesma coisa. O assassino será punido, neste caso, temporariamente, por não ter utilizado com sabedoria as suas liberdades. Fim. Entender isso é começar a entender o que é viver em sociedade.

O direito a liberdade de expressão não dá o direito a ninguém ser um energúmeno, criminoso e/ou imbecil. Defender a liberdade de expressão é exigir que todos e todas possam se expressar, seja através da escrita, da fala, do corpo, da matemática (risos), o que seja. Quem se expressa deve agir com responsabilidade e entender que a liberdade de um termina quando começa a liberdade do outro, a lógica é muito simples.



[ ATENÇÃO ]
Uma provável divergência que surgirá com o entendimento da palavra "censura" acontece devido aos traumas provocados pela ditadura militar. A censura se tornou um fantasma e o medo distorceu a definição primária, original e lógica do termo. Sim, "censura prévia" é um pleonasmo, uma redundância.

Por exemplo: remover conteúdos impróprios após publicação é lido, de forma equivocada, como censura; mas não é. Como a linguagem é uma expressão da cultura, que vem do culto, que é refém do tempo; a palavra, por sua vez, se distorce e perde, infelizmente, com o passar do tempo, a capacidade de transferir o seu significado em concepção, para mais informações leia a mecânica das palavras.


---

Fonte: Vegazeta

"Quando tentamos dirigir-nos, com a ajuda da razão e sem a intervenção de nenhum sentido, para o que é cada coisa em si, e não desistimos até alcançar, com o auxílio exclusivo da inteligência: o que é o bem em si, então chegamos às próprias fronteiras do inteligível assim como aquele que chegou ao limite do invisível." - Palavras de Sócrates no livro A República de Platão.




Nenhum comentário:

Postar um comentário