Por que Bolsonaro não tem força no Nordeste?

Texto com intuito de apresentar duas possibilidades de contra-argumentações - que considero pouco exploradas, entre as infinitas. A primeira pretende rebater a falácia de que o nordestino vota motivado por "burrice" ou "ignorância" e segunda retrata o comportamento social do "rouba mas faz" que (ainda) persiste na perspectiva do eleitor.

---

O especialista e cientista político Alberto Carlos Almeida, em entrevista ao programa Manhattan Connection (Globo News), para falar dos seus livros, "A Cabeça do Brasileiro" (2007) e "A Cabeça do Eleitor" (2008). Ele explica que o nordeste vota em peso no PT puramente por questões econômicas.

Fonte: Gazeta do Povo [1].

Além de afirmar que a mudança da cabeça do brasileiro tem muito a ver com a “escolarização da população”, ainda segundo ele: “é uma mudança geracional, na medida em que você troca gerações [7]… gerações mais velhas, menos escolarizadas, são substituídas por gerações mais jovens e mais escolarizadas e você tem essa mudança” [2].

Ao ser provocado, ele complementa, a “avaliação do governo Dilma no nordeste, é maior do que em São Paulo (...) o nordeste cresce muito mais do que São Paulo, então as pessoas votaram baseado no bolso, no interesse próprio, nisso o eleitor nordestino é idêntico ao eleitor paulista” [2].

A crença do “rouba mas faz”

O grandioso Mateus Aleluia disse que "a cultura vem do culto" [3]. Assim como a mentira, a crença, repetida muitas vezes, torna-se uma verdade cultural e, infelizmente, passa a habitar a memória recente do inconsciente coletivo [4] de um povo.

Em 2017, 23% da população declarou aceitar, em algum nível, o político que “rouba mas faz” [5] [8]. Em 2002 eram 62,3% e em 2006 eram 37,3% [6]. A grosso modo, se considerarmos 23% de 210 milhões de pessoas no país, ainda temos 48.3 milhões de pessoas que aceitam e externalizam, conscientemente, o "roubar mas fazer", e por mais que este comportamento lastimável pareça estar diminuindo, 23% ainda é uma proporção considerável.

Isso pode indicar o porquê mesmo com os escândalos de corrupção atribuídos à gestão petista, pessoas da região mantiveram-se fieis. Agregando-se aos benefícios econômicos, a tendência só aumenta.

Claro que também devemos considerar que, além disso, pessoas também enxergaram a manipulação midiática que resultou na injustiça do impeachment de Dilma, assim como outros fatores, em teoria menos impactantes, e ainda assim válidos, como o piadas e discurso preconceituosos em relação aos nordestinos proferidos pelo Bolsonaro e afins.

Caso haja algum argumento que te incomodou, sinta-se à vontade para consultar as referências que estarão muito melhor explicadas do que este texto que pretende introduzir "novas" ideias e aumentar a nossa carteira de argumentações embasadas em dados e não somente em opiniões.

[1] - https://especiais.gazetadopovo.com.br/eleicoes/2018/resultados/mapa-eleitoral-de-presidente-por-municipios-2turno/
[2] - https://www.youtube.com/watch?v=FlBUcqXWDBE
[3] - https://www.youtube.com/watch?v=lq9RagVaocA (assista com fone de ouvido)
[4] - https://www.pucsp.br/pos/cesima/schenberg/alunos/eduardoaugusto/Incosciente1.htm
[5] - http://datafolha.folha.uol.com.br/opiniaopublica/2017/10/1923935-maioria-rejeita-rouba-mas-faz.shtml
[6] - https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-62762013000200004&lng=pt&tlng=pt
[7] - https://www.youtube.com/watch?v=2hwz7-MqumE
[8] - https://exame.com/brasil/23-dos-brasileiros-acredita-no-rouba-mas-faz-diz-pesquisa/