Experiência com a Ayahuasca

Eis que encontro a recomendação de um amigo para o preenchimento de um questionário científico sobre a ayahuasca. Ao me deparar com uma pergunta, achei que caberia uma postagem aqui.

A imagem pode conter: texto



Por favor, conte-nos sobre os efeitos positivos ou negativos mais importantes:

No início, me vi como se estivesse em uma dimensão de purgatório / umbral. Enxergava figuras assombrosas e ameaçadoras mas que não me causavam medo algum, tinha plena convicção que aquilo era parte do processo, que eu não seria atingido e em algum momento aquilo iria passar.

Interpreto como um descarrego energético denso do aflorar da (in)consciência e dos meus desejos, posturas e experiências mais escusas e sombrias.

Passada essa parte inicial, o arrebatamento espiritual tomou-me de tal modo que não conseguia mais sentir meu corpo. Eu era o Universo. Quando voltava a consciência para mim, e para meus desejos, conseguia enxergar fisicamente o caminho a ser percorrido, com todas as dificuldades e percalços, para a conquista dos meus objetivos.

Por fim, o momento mais difícil foi desligar-me completamente da análise consciente, registradora e controlável do que estava acontecendo.

Em qualquer estado alterado de consciência ainda há um resquício da consciência, com a ayahuasca se eu continuasse neste estado de alerta entraria na chamada "badtrip". Comecei a suar frio, sentir arritmia cardíaca, um mal estar tremendo e uma voz interior que dizia: se deixe levar.

Meu medo e necessidade de controle tentou negociar com esta voz, de todas as formas possíveis, retardando a "badtrip" até o último momento, momento este que ou eu me entregava por completo ou passaria do céu para o inferno.

Entreguei-me, desliguei o estado controlador e o último resquício de consciência que insistia em atuar, para me tornar luz. A partir dali, perdi completamente a noção de tempo, espaço e raciocínio cerebral, foi uma transição de estado: da carne pro espírito.

Sem sombra de dúvidas, foi uma das melhores sensações da minha vida.

Para preencher o questionário, clique aqui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário