Meu discurso na Assembleia da UFBA dia 01/09/15, na íntegra.

Pegando um gancho da nossa colega Desireé, que reclamou e pediu a diminuição das picuinhas geradas no facebook, eu pergunto: Por que essas picuinhas não estão acontecendo aqui, agora, nesta assembleia? E respondo: porque aqui não tem ovelha, e se tiver tem muito pouca – a assembleia está esvaziada.


Em outros canais acontecem isso porque cada qual, na verdade, só quer pensar em puxar a sardinha pra sua própria entidade, sem saber que destrói o movimento grevista, como um todo.

Essa briga de entidades, sopa de letrinhas (UNE, ANEL, UJS, etc.) e ataque uma às outras só faz afastar os verdadeiros estudantes da construção da greve. As entidades são extremamente nocivas pra UFBA, mais falam do que fazem. Querem microfone, holofotes, passagem pra Brasília, serem bem vistas pelos partidos que as batizaram; e querem ovelhas. Sim, ovelhas. Eu não faço parte de nenhuma entidade "política" da UFBA e jamais vou fazer.

Quando o colega traz o questionamento do “para onde vai o dinheiro da universidade”, eu pergunto: que dinheiro? Antes de levantarmos esse tipo de coisa, precisamos entender que HOUVE UM CORTE, NÃO TEM DINHEIRO. Medidas deveriam estar sendo tomadas para ENTENDER e COMBATER isso, na raiz do problema, ser radical.

Mais uma vez as pessoas usam o termo “radicalismo” da forma errada aqui. Extremismo não é radicalismo. Bater de frente é ser extremista, ser radical é ser inteligente… e não há inteligência na mobilização da greve, ao contrário.

Por que o corte no Ministério da Educação foi um dos maiores? 31%, teve ministério que teve 2%, 6%. Por que tanto descaso com a educação pública? Isso que deveria ser pautado, aprofundado...

Ocupar a reitoria vai adiantar alguma coisa? Não. É válido? Talvez. Mas lutar contra os verdadeiros inimigos e agir de uma forma saudável e sensata pra o sistema educacional como um todo não é feito. A UFBA precisa de 4 milhões por mês, para a pós-graduação, com o corte caiu pra 1 milhão. O défict no orçamento nacional foi pra 30 bilhões, poderia estar em 20 se o marginal do Eduardo Cunha não tivesse aprovado uma emenda que aumentará em mais 10 bilhões os gastos públicos.

Todo mundo sabe que o problema é o ESTADO GORDO, mas aí é que tá.

Quantos aqui, dessas entidadeszinhas, já estão engatilhados para serem vereadores? Quantos já estão fazendo carreira política? Usando as ovelhas, os aplausos, a má fé… pra trampolim político? De olho no cabide podre do guarda-roupa infeliz do Estado, a espera de uma indicação... ser um assessor... um secretário...

O problema da falta de recurso vem do ESTADO GORDO, mas ninguém quer queimar essa gordura, né? Ah sim, já ia esquecendo, não tenho nada contra os gordos, até porque também tô gordinho. :)

Nenhum comentário:

Postar um comentário